terça, 10 de janeiro de 2017 - 17:04h
Mais de 130 escolas terão vigilância monitorada até o final de janeiro 
Instalação dos equipamentos iniciou na semana passada e vai contemplar escolas de Macapá e Santana
Por: Wellington Costa
Foto: Patrick Tavares
A primeira escola a ter o sistema instalado é a Rodoval Borges, no bairro Fonte Nova

Este ano, 135 escolas serão monitoradas eletronicamente no Amapá. A instalação dos kits de vigilância começou na última sexta-feira, 6, nas escolas da área urbana de Macapá e Santana. A previsão é que até o final de janeiro todas as unidades escolares serão contempladas com esse tipo de monitoramento.

A Secretaria de Estado da Educação (Seed) investiu R$ 12,3 milhões no serviço. O investimento vai proporcionar uma grande redução de custos aos cofres públicos. Hoje, a Seed gasta R$ 4 milhões em vigilância por mês. Com o funcionamento do sistema de monitoramento, esse valor vai cair para pouco mais de R$ 1 milhão por mês.

A primeira escola a ter o sistema instalado é a Rodoval Borges, no bairro Fonte Nova. A escola teve oito intrusões no último semestre. A prioridade para instalação dos kits foi baseado de acordo com um relatório feito pela Polícia Militar do Estado que apontou os colégios de maior vulnerabilidade.

Cada escola contará com circuitos de câmeras, de alarmes e de TV, além de cobertura de seguro patrimonial, manutenção e monitoramento 24 horas. O sistema será interligado ao Centro Integrado de Operações de Defesa Social (Ciodes), que também acompanhará em tempo real o que estará acontecendo nas unidades escolares.

"Além da Central de Monitoramento que funcionará em Macapá, teremos uma base em Santana, para a vigilância monitorada das escolas do município. E essas duas centrais que, por vez, estarão sendo monitoradas por uma terceira, diretamente de São Paulo", reforçou Celson Miranda, gerente técnico da Ativa System.

A empresa Ativa System Brasil, do Grupo Ferreira Souza, é a responsável pela prestação do serviço. A empresa monitora pouco mais de 200 escolas no estado da Paraíba desde 2013. Para o Amapá, a empresa ofertou ainda, a custo zero para o Estado, outras duas ferramentas tecnológicas de acionamento de emergências.

“Um sistema de gestão de chamada de emergência e um aplicativo para ser usado em celulares e tablets para o acionamento de emergência serão disponibilizados para os gestores escolares. São inovações que sairão a custo zero para o governo do Amapá e que essas escolas terão a pronta-mão”, pontuou o empresário Antonio Ferreira de Souza, presidente da Ativa System.

O contrato de vigilância monitorada tem duração de um ano podendo ser prorrogado por até 60 meses. Além das 135 escolas iniciais que receberão os kits, é previsto em contrato a possibilidade de até 300 unidades escolares do Estado tenham a vigilância monitorada.

"Nossa intenção é levar o monitoramento para escolas da zona rural do Amapá também. Mas para isso, os municípios devem se estruturar, principalmente no que diz respeito a internet. Esse serviço vem fortalecer a política educacional do que diz respeito à segurança patrimonial e de pessoas, no casos os nossos estudantes e professores", ressaltou a secretária Goreth Sousa.

GOVERNO DO ESTADO DO AMAPÁ
Site desenvolvido e hospedado pelo PRODAP - Centro de Gestão da Tecnologia da Informação
2015 - Licença Creative Commons 3.0 International
Amapá