quinta, 13 de julho de 2017 - 13:31h
Campanha de doação de leite materno é intensificada no mês das férias
Uma equipe especializada está de prontidão para atender todos os dias, inclusive fins de semana, feriados e durante todo o período de férias escolares.
Por: Anselmo Wanzeller
Foto: Anselmo Wanzeller
Depois que a mulher entra no cadastro, passa a receber o kit de doadora. Quem não tem leite, pode doar recipientes para compor o kit.

O Governo do Amapá intensifica a campanha para doação de leite materno no mês de julho. O objetivo é manter o nível dos estoques quando há queda nas doações, que costumam diminuir até 25% no período das férias no Banco de Leite Humano (BLH) do Hospital da Mulher Mãe Luzia (HMML).

Uma equipe de profissionais especializadas, composta por enfermeiras, técnicas em enfermagem, bioquímica e auxiliares de higienização, estão de prontidão para atender todos os dias, inclusive fins de semana, feriados e durante todo o período de férias escolares.

Conforme a coordenadora do Banco de Leite Humano, Darcineyde Dias, a unidade recebe, em média, 130 litros de leite materno ao mês, e a doadora não precisa se preocupar com a quantidade mínima para doar. "Qualquer quantidade é importante. Um pote de 300 ml de leite humano pode alimentar até 10 recém-nascidos internados. Por isso, a mulher não precisa se preocupar em encher o pote para fazer a doação", diz a coordenadora.

Todo leite doado é analisado, pasteurizado e submetido a rigoroso controle de qualidade antes de ser ofertado para a criança.

Milenne Suellen Miranda comenta que é doadora desde sua primeira gestação, em 2014. Com o nascimento do segundo filho, continuou com o ato de solidariedade. Para ela, doar é revigorante e, assim, espera estimular outras mulheres. "É algo gratificante, doar não custa nada, pois produzo muito leite. Com o nascimento do meu segundo filho, chego a doar mais de 9 litros por semana e espero estar servido de exemplo para outras mulheres que também podem doar, mas que por algum motivo não doam", declara Milenne.

Orientações do Banco de Leite

Antes da coleta, é aconselhável que a doadora faça uma higiene pessoal, cobrindo os cabelos com lenço ou touca, usando pano ou máscara sobre o nariz e a boca, lavando bem as mãos e os braços, até o cotovelo, com bastante água e sabão.

As mamas devem ser lavadas apenas com água e, em seguida, secadas com toalha limpa. O leite deve ser coletado em local limpo e tranquilo. O leite humano extraído para doação pode ficar no freezer ou no congelador da geladeira por até 10 dias. Nesse período, deverá ser transportado ao banco de leite humano.

Quem pode doar

Para se tornar uma doadora, a mulher em fase de amamentação deve produzir um volume de leite acima da necessidade de seu bebê, além de ser saudável e não usar medicamentos que impeçam a doação.

Interessadas devem procurar o Banco de Leite, que funciona 24 horas por dia, no prédio do Hospital da Mulher Mãe Luzia, na Rua Jovino Dinoá, esquina com a Avenida FAB, ou ligar para obter mais informações no número (96) 3225-8732.  Dessa forma, a mulher deverá fazer um pré-cadastro segundo as orientações fornecidas pela equipe do Banco de Leite assim que entrar em contato.

Depois de cadastrada, a mulher passa a receber o kit de doadora, que contém os vasilhames enviados e recolhidos na própria residência.

Quem não tem leite, pode doar recipientes

Todos podem ajudar o Banco de Leite Humano do HMML com a doação de recipientes de vidro com tampa plástica. Pode ser de café solúvel ou maionese, que servirão para armazenar o leite humano doado após esterilização.

GOVERNO DO ESTADO DO AMAPÁ
Site desenvolvido e hospedado pelo PRODAP - Centro de Gestão da Tecnologia da Informação
2015 - Licença Creative Commons 3.0 International
Amapá