quinta, 17 de dezembro de 2020 - 11:24h - 7616
Estudantes amapaenses enfrentam novos desafios na Olimpíada Brasileira de Robótica
Com datas adiadas por conta da pandemia, professores e alunos se adaptam ao novo formato da competição. Resultados serão divulgados ainda este mês.
Por: Rafael Aleixo
Foto: Rafael Aleixo
O objetivo é estimular jovens às carreiras científico-tecnológicas

Realizada anualmente, a Olimpíada Brasileira de Robótica (OBR) tem o objetivo de estimular jovens às carreiras científico-tecnológicas, identificar jovens talentosos e promover debates e atualizações no processo de ensino-aprendizagem.

Ocorrida até então de forma presencial, este ano professores e alunos tiveram que se adaptar às limitações impostas pela pandemia. A OBR é dividida nas modalidades Prática e Teórica, subdividindo-se em diversas categorias que atendem alunos dos ensinos fundamental, médio e técnico.

Entre os participantes está Carlos Daniel, de 13 anos, estudante da escola estadual Maria Merian, na zona norte de Macapá. O aluno contou com o apoio da família e do professor de matemática da instituição, Jeferson de Castro, que imprimiu e levou as provas teóricas até a casa do estudante.

“Quando finalmente saiu a data da prova, pensei em fazer na escola, contudo a coordenação me avisou que ainda seria arriscado, mesmo sendo um único aluno. Então conversei com o Danilo e com sua família em como poderíamos fazer, já que ele estava motivado e havia estudado para a prova. Não poderíamos deixar que essa vontade fosse desperdiçada’, explicou Jeferson.

O professor acrescentou ainda que fez a inscrição do aluno, quando não havia a data ou mesmo previsão para a realização da prova, que em anos anteriores eram realizadas nas escolas participantes.

“Eu tô participando pela segunda vez, só que esse ano foi bem mais difícil. Se der tudo certo nessa etapa, no próximo ano quero participar da modalidade prática da OBR”, contou otimista o estudante.

O estudante tem grande interesse pela ciência. Ano passado participou da Olimpíada Brasileira de Astronomia, da Mostra de Foguetes, da OBR e de concursos de redação.

Mais informações sobre a olimpíada podem ser acessadas em: www.obr.org.br.

Incentivo à robótica

O aluno Carlos Daniel foi um dos 100 estudantes que participaram do curso Teen Robótica, realizado pela Secretaria de Estado da Ciência e Tecnologia (Setec), em 2019, onde o objetivo foi difundir e estimular a educação 4.0 por meio do processo de aprendizagem da robótica como ferramenta de inovação.

O curso foi voltado a alunos regularmente matriculados na rede pública de ensino com idade entre 11 a 16 anos, compreendendo o 6° ano do ensino fundamental II ao 2° ano do ensino médio.

Sobre a OBR

A OBR é uma das olimpíadas científicas brasileiras apoiadas pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), que possui duas modalidades que procuram adequar-se tanto ao público que nunca viu robótica quanto ao público de escolas que já têm contato com a robótica educacional.

Anualmente, a olimpíada elabora e gere a aplicação de provas teóricas e práticas em todo o Brasil utilizando essa temática, também se destina a todos os alunos de qualquer escola pública ou privada do ensino fundamental, médio ou técnico em todo o território nacional, e é uma iniciativa pública, gratuita e sem fins lucrativos.

GALERIA DE FOTOS

GOVERNO DO ESTADO DO AMAPÁ
Site desenvolvido e hospedado pelo PRODAP - Centro de Gestão da Tecnologia da Informação
2015 - Licença Creative Commons 3.0 International
Amapá