sexta, 26 de março de 2021 - 13:28h - 5853
PAA já beneficiou mais de 70 mil famílias em todo o estado
Hoje a feira do PAA é considerada atividade essencial, já que garante a segurança alimentar de centenas de famílias amapaenses.
Por: Ailton Leite
Foto: Erich Macias
Toneladas de alimentos são comercializados na Feira do PAA.

O Governo do Amapá realizou nesta sexta-feira, 26, mais uma feira do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) em Macapá e no município de Pedra Branca do Amapari. A feira foi reconhecida pelo Governo do Estado como atividade essencial por garantir a segurança alimentar de centenas de famílias carentes. O programa já beneficiou aproximadamente 70 mil famílias.

Para quem recebe os produtos como a Cáritas, entidade ligada a Diocese de Macapá e que atua na doação de alimentos à famílias carentes, a parceria com o Governo do Estado tem sido importante para a manutenção do trabalho voluntário desenvolvido pela instituição.

“Esses produtos que recebemos através do PAA são utilizados no sopão que fazemos em todas as 27 paroquias atendidas pela Cáritas. Além disso, fazemos kits que integram as cestas básicas que distribuímos às famílias atendidas pela instituição. A gente agradece por essa parceria que tem sido importante para a realização do nosso trabalho assistencial”, destacou o diretor institucional da Cáritas, José Roberto Paes.

O agricultor Lauro Furtado, da comunidade de Curralinho, participa da feira do PAA desde o início e considera o programa importante, tanto para os agricultores como para as famílias beneficiadas pelo programa.

“É um programa muito bom porque ajuda os agricultores que têm pra quem entregar a produção, além de beneficiar muitas pessoas que precisam deste alimento”, frisou o agricultor que entregou 200 quilos de pepinos, alfaces, entre outros.

Um termo de cooperação técnica entre Instituto de Extensão, Assistência e Desenvolvimento Rural do Amapá (Rurap) e a Secretaria de Estado de Mobilização Social (Sims) garante que 300 entidades de assistência social recebam os produtos adquiridos dos agricultores.

“Vale ressaltar que foi uma decisão acertada do governador Waldez Góes de incluir a feira no como uma atividade essencial, pois, esses alimentos irão beneficiar centenas de famílias que precisam garantir sua segurança alimentar”, destacou a secretaria de Estado de Mobilização Social, Albanize Colares.

O diretor do Rurap, Hugo Paranhos, destacou que o PAA passou a ser a principal ferramenta que o agricultor encontrou para escoar sua produção neste período de pandemia. Ele explicou que antes, o produtor vendia no PAA somente o excedente do que produzia, isso mudou com a pandemia.

“Já realizamos mais de 70 feiras em todo o estado, ultrapassamos os 500 agricultores atendidos pelo programa e chegamos a aproximadamente 70 mil famílias beneficiadas com esses alimentos”, ressaltou o diretor.

 

Banco de alimentos do estado

Visando não haver nenhum desperdício de alimentos, o secretário de Estado de Desenvolvimento Rural, Janer Gazel, acrescentou que há em estudo a criação de um banco de alimentos do estado. O objetivo é garantir que produtos não comercializados durante a feira do PAA sejam adquiridos pelo estado e entregue posteriormente através da SIMS para famílias em vulnerabilidade social.

“O objetivo desse banco é garantir que o produtor não tenha prejuízos e que este produto chegue em forma de doação à mesa daquelas pessoas em situação de vulnerabilidade social”, explicou o secretário.

GOVERNO DO ESTADO DO AMAPÁ
Site desenvolvido e hospedado pelo PRODAP - Centro de Gestão da Tecnologia da Informação
2015 - Licença Creative Commons 3.0 International
Amapá