quinta, 07 de outubro de 2021 - 11:00h - 4422
Caesa firma convênio com Banco do Brasil para regularização de débitos dos clientes
Parceria entre as instituições viabilizará mais acesso a negociações e soluções de créditos.
Por: Camila Ramos
Foto: Camila Ramos
A estratégia foi desenvolvida ao longo de meses de estudo técnico entre as instituições, e será essencial para a injeção de investimentos no sistema de água e esgoto do Estado. Atualmente a Caesa possui cerca de R$ 180 milhões em créditos não recebidos.

A partir deste mês de outubro, a cobrança de débitos dos clientes da Companhia de Água e Esgoto do Amapá (Caesa) será efetuada por meio do Banco do Brasil – Setor Público. O convênio entre as instituições é uma estratégia arrojada na gestão pública já adotada em outros estados para aprimoramento de processos, e foi oficializada nesta quarta-feira, 6. O início das atividades será imediato, com a estruturação da operação.


A nova operação contará com call center exclusivo para os atendimentos financeiros, mala direta, e-mail, WhatsApp e outros canais de atendimento aos clientes, facilitando o acesso a negociação e soluções para quitar suas pendências, evitando a negativação e corte do serviço de água. Os canais serão ativados e divulgados a partir de novembro.


Além do sistema de cobrança, o Banco do Brasil utilizará seu banco de dados para cruzar as informações cadastrais dos clientes e endereços, potencializando as atividades e concedendo à Caesa a atualização de seu cadastro em todo o estado, uma dificuldade antes enfrentada pelo setor Comercial da Companhia.


Mesmo com o serviço de cobranças terceirizado, os atendimentos financeiros também continuarão ativos no escritório central da Caesa, localizado na Avenida Ernestino Borges 222, e agências do Super Fácil em todo o estado, junto aos demais préstimos da carta de serviços ao cliente da Companhia.

Parceria

A arrecadação impacta diretamente na qualidade do serviço que chega à casa dos clientes, segundo apontou o diretor presidente da Caesa, Valdinei Amanajás.

“Quando falamos de qualidade da manutenção das redes, da água distribuída e do esgoto coletado, estamos falando de uma operação de alto custo que depende da arrecadação da empresa. Este convênio tem cunho comercial, mas terá efeito no operacional, na saúde e qualidade de vida dos nossos clientes”, explicou Amanajás.


O gerente da Agência Setor Público do Banco do Brasil no Amapá, Flávio Caram, afirmou que toda a expertise da instituição financeira será empenhada para prestar o melhor atendimento ao consumidor e à Companhia na recuperação dos créditos.

“Hoje a Caesa tem mais de R$ 180 milhões em faturas não pagas. Uma operação de recuperação deste porte necessita de uma estrutura especializada e de um banco de dados robusto, e é aí que o Banco do Brasil entra. Este projeto é muito importante para nós também, e será somado aos outros casos de sucesso em todo o país”, avaliou Caram.

GOVERNO DO ESTADO DO AMAPÁ
Site desenvolvido e hospedado pelo PRODAP - Centro de Gestão da Tecnologia da Informação
2015 - Licença Creative Commons 3.0 International
Amapá