domingo, 28 de novembro de 2021 - 11:00h - 3338
SAMU Estadual retoma projeto de primeiros socorros em escolas
Ação leva técnicas de primeiros socorros para professores e demais profissionais da Educação.
Por: Karla Santos
Foto: Karla Santos/Sesa
Aulas práticas e teóricas treinam professores e outros profissionais escolares.

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) Estadual retomou na sexta-feira, 26, as aulas práticas e teóricas do projeto de atendimento pré-hospitalar "APH na Escola".

Professores e demais profissionais da Educação aprendem técnicas de ressuscitação cardiopulmonar (RCP), de imobilizações e como lidar com casos de afogamentos e acidentes elétricos. 

O objetivo do projeto é que os servidores das escolas estejam aptos a atuar em situações de emergência até a chegada da ajuda médica especializada.

O projeto é baseado na Lei 13.72, conhecida como "Lei Lucas", que determina a obrigatoriedade das escolas públicas, privadas e qualquer estabelecimento de recreação infantil a habilitarem professores e funcionários em métodos de primeiros socorros.

Para a enfermeira do Samu, Berta Rocha, o APH na Escola pode ser um facilitador da disseminação das técnicas dentro da sociedade de maneira geral, apesar do foco educacional, além de afirmar que a execução do projeto proporciona mais segurança dos estudantes. 

"A escola deve ser um local tranquilo, de aprendizagem e que ofereça proteção aos alunos. Quantos mais pessoas capacitadas para lidar com situações emergenciais, mais seguro o ambiente se torna", destacou.

A retomada das atividades do projeto aconteceu na Escola Sesi. De acordo com colaborador do recursos humanos da instituição, Elison Bandeira, os 20 profissionais que participaram das aulas conseguirão oferecer melhor assistência em situações cotidianas.

"Pequenos cortes, alergias, engasgos, arranhões e outros acidentes menores são comuns na rotina de todos. Com as orientações repassadas pelo SAMU a nossa equipe, com certeza teremos mais assertividade em aplicar as técnicas e ajudar em situações adversas", afirmou.

GOVERNO DO ESTADO DO AMAPÁ
Site desenvolvido e hospedado pelo PRODAP - Centro de Gestão da Tecnologia da Informação
2015 - Licença Creative Commons 3.0 International
Amapá